Estadão.com.br

Busca avançada





  • Edição 1000
  • Edição 95
  • Edição 94
  • Edição 93
  • Edição 92
  • Edição 91
  • Edição 90
  • Edição 89
  • Edição 88
  • Edição 87
  • Edição 86
  • Edição 85
  • Edição 84
  • Edição 83
  • Edição 82
  • Edição 81
  • Edição 80
  • Edição 79
  • Edição 78
  • Edição 77
  • Edição 76
  • Edição 75
  • Edição 74
  • Edição 73
  • Edição 72
  • Edição 71
  • Edição 70
  • Edição 69
  • Edição 68
  • Edição 67
  • Edição 66
  • Edição 65
  • Edição 64
  • Edição 63
  • Edição 62
  • Edição 61
  • Edição 60
  • Edição 59
  • Edição 58
  • Edição 57
  • Edição 56
  • Edição 55
  • Edição 54
  • Edição 53
  • Edição 52
  • Edição 51
  • Edição 50
  • Edição 49
  • Edição 48
  • Edição 47
  • Edição 46
  • Edição 45
  • Edição 44
  • Edição 43
  • Edição 42
  • Edição 41
  • Edição 40
  • Edição 39
  • Edição 38
  • Edição 37
  • Edição 36
  • Edição 35
  • Edição 34
  • Edição 33
  • Edição 32
  • Edição 31
  • Edição 30
  • Edição 29
  • Edição 28
  • Edição 27
  • Edição 26
  • Edição 25
  • Edição 24
  • Edição 23
  • Edição 22
  • Edição 21
  • Edição 20
  • Edição 19
  • Edição 18
  • Edição 17
  • Edição 16
  • Edição 15
  • Edição 14
  • Edição 13
  • Edição 12
  • Edição 11
  • Edição 10
  • Edição 9
  • Edição 8
  • Edição 7
  • Edição 6
  • Edição 5
  • Edição 4
  • Edição 3
  • Edição 2
  • Edição 1


Manifestação dos sinalizadores diante da residência oficial do presidente da República da Islândia, 2 de janeiro de 2010

Compartilhar:

Manifestação dos sinalizadores diante da residência oficial do presidente da República da Islândia, 2 de janeiro de 2010

Icelanders flock to the presidents residence Bessastadir on January 2th, asking him to veto a bill that would make the debt burden of the Icelandic nation unbearable. Nearly a quarter of Icelandic voters signed a petition asking the president to veto a bill on repaying $5 billion lost by British and Dutch savers when the island's banks collapsed. The bank LÍ "National Bank of Iceland" had been privatized many years before the collapse and Icelanders do not understand why ordinary people in Iceland are responsible for private banks operating in Britain and Holland and serving British and Dutch customers. A campaign led by InDefence, a grass-roots activist group, has secured almost 50,000 signatures, nearly a quarter of all adults. InDefence was launched in late 2008 by British-educated citizens outraged by Londons use of anti-terror laws to freeze Icelandic assets, an unprecedented insult for a close NATO ally.

Visite a página da revista piauí no Orkut