Estadão.com.br
‹ Ir para edição atual

Busca avançada





  • Edição 98
  • Edição 97
  • Edição 96
  • Edição 95
  • Edição 94
  • Edição 93
  • Edição 92
  • Edição 91
  • Edição 90
  • Edição 89
  • Edição 88
  • Edição 87
  • Edição 86
  • Edição 85
  • Edição 84
  • Edição 83
  • Edição 82
  • Edição 81
  • Edição 80
  • Edição 79
  • Edição 78
  • Edição 77
  • Edição 76
  • Edição 75
  • Edição 74
  • Edição 73
  • Edição 72
  • Edição 71
  • Edição 70
  • Edição 69
  • Edição 68
  • Edição 67
  • Edição 66
  • Edição 65
  • Edição 64
  • Edição 63
  • Edição 62
  • Edição 61
  • Edição 60
  • Edição 59
  • Edição 58
  • Edição 57
  • Edição 56
  • Edição 55
  • Edição 54
  • Edição 53
  • Edição 52
  • Edição 51
  • Edição 50
  • Edição 49
  • Edição 48
  • Edição 47
  • Edição 46
  • Edição 45
  • Edição 44
  • Edição 43
  • Edição 42
  • Edição 41
  • Edição 40
  • Edição 39
  • Edição 38
  • Edição 37
  • Edição 36
  • Edição 35
  • Edição 34
  • Edição 33
  • Edição 32
  • Edição 31
  • Edição 30
  • Edição 29
  • Edição 28
  • Edição 27
  • Edição 26
  • Edição 25
  • Edição 24
  • Edição 23
  • Edição 22
  • Edição 21
  • Edição 20
  • Edição 19
  • Edição 18
  • Edição 17
  • Edição 16
  • Edição 15
  • Edição 14
  • Edição 13
  • Edição 12
  • Edição 11
  • Edição 10
  • Edição 9
  • Edição 8
  • Edição 7
  • Edição 6
  • Edição 5
  • Edição 4
  • Edição 3
  • Edição 2
  • Edição 1
  • Edição 0


questões manuscritas

  • Groucho e seus irmãos

    Groucho e seus irmãos

    Dentre as centenas de milhares de fotos assinadas por artistas do século XX que chegaram até nós, algumas peças raríssimas se destacam por terem sido presenteadas por grandes estrelas a outras celebridades, como marca de amizade. A imagem deste post é talvez a melhor fotografia assinada dos irmãos Marx, surgida em leilão nas últimas décadas. Traz uma dedicatória ao cantor e ator francês Maurice Chevalier, muito popular nos Estados Unidos nos anos 1930, e mostra os quatro irmãos, Groucho, Zeppo, Harpo e Chico deitados e sorrindo para a câmera. — Leia o post completo.


  • O olhar de Marilyn

    O olhar de Marilyn

    Na constelação de Hollywood, Marilyn Monroe permanece hoje como talvez a estrela mais brilhante. — Leia o post completo.


  • Lembrança de Procópio

    Lembrança de Procópio

    Pintores ignorados por seus contemporâneos, como Van Gogh, podiam ao menos esperar da posteridade que lhes desse após a morte a fama que não tiveram em vida. Enquanto o mesmo ocorre com músicos e escritores, o teatro é uma arte ingrata no que diz respeito à fama póstuma. — Leia o post completo.


  • Meu querido papai

    Meu querido papai

    A princesa Isabel foi uma das correspondentes mais prolíficas do Império. Parece ter gostado muito de escrever cartas e trocava constantemente mensagens breves com suas amigas mais próximas. Era também obrigada, devido à sua posição, a mandar cartas e bilhetes para agradecer as inúmeras gentilezas que recebia, para confirmar convites, solicitar pequenos favores e mandar recados. Por outro lado, a princesa precisava redigir mensalmente dezenas de cartas de felicitações e pêsames. — Leia o post completo.


  • D. Pedro II quer "vencer nas eleições"

    D. Pedro II quer "vencer nas eleições"

    Pedro II teve um reinado extremamente longo. Tornou-se Imperador aos cinco anos de idade, com a abdicação de seu pai, em 1831, e reinou até a sua deposição pela República, 58 anos mais tarde. Só assumiu o poder de fato em 1841 com a proclamação de sua maioridade, aos 14 anos, e a partir desse momento assinou um número imenso de documentos. — Leia o post completo.


  • O descanso do ilustrador

    O descanso do ilustrador

    Eric Gill, morto em 1940, foi sem dúvida o tipógrafo mais famoso e um dos melhores ilustradores britânicos da primeira metade do século XX. — Leia o post completo.


  • O Rolls do Royce

    O Rolls do Royce

    A Rolls-Royce consegue há mais de um século o feito de manter-se como a marca mais prestigiosa de automóveis de luxo. Um de seus fundadores, Charles Rolls, fez muita coisa em sua curta vida de 32 anos. Aristocrata, filho de barão, seguiu o percurso clássico da elite inglesa estudando no colégio de Eton e depois na Universidade de Cambridge. Mas o que lhe interessava mais era a mecânica e, com 18 anos, em 1896, comprou em Paris um dos primeiros carros Peugeot e o levou à Inglaterra, numa época em que havia apenas três automóveis no País de Gales. — Leia o post completo.


  • O esboço do Pequeno Príncipe

    O esboço do Pequeno Príncipe

    Em 1942, Antoine de Saint-Exupéry é um homem cansado. O aristocrata e piloto francês tem apenas 42 anos, mas sente-se gasto e desanimado. Auto-exilado nos Estados Unidos, tem um casamento difícil com uma salvadorenha temperamental, um passado heroico de voos pioneiros e uma carreira literária de sucesso. Carrega também um profundo desalento com a derrota francesa face à Alemanha dois anos mais cedo.

    É nesse contexto que escreve o livro que o tornou universalmente célebre: O Pequeno Príncipe. Antes livro de cabeceira de nove entre dez “misses” e hoje respeitado como talvez o mais famoso livro “infantil” da primeira metade do século XX. — Leia o post completo.


  • Uma família de poder

    Uma família de poder

    A imagem reproduzida nesta página não é uma foto de família, apesar de representar quatro gerações de uma mesma família. Não foi feita para ser vista apenas por seus membros mas por um público amplo e não serviu para lembrar uma reunião de parentes, mas para passar uma clara mensagem política: a perenidade da dinastia reinante sobre a Inglaterra, então a nação mais poderosa do mundo. Tirada em 1899, às vésperas do novo século que prenunciava uma nova era, mostra a Rainha Vitória, então muito mais soberana do mundo que simplesmente rainha da Inglaterra, cujo reinado completara 62 anos, cercada por seu filho e herdeiro, o futuro Edward VII, seu neto, o futuro George V e seu bisneto, o futuro Edward VIII, cujo reinado, por oposição à sua bisavó, bateria o recorde de brevidade (apenas dez meses em 1936). — Leia o post completo.


  • Um conto visual de Andersen

    Um conto visual de Andersen

    O dinamarquês Hans Christian Andersen é mais lembrado hoje que a maioria dos escritores do século XIX, graças a seus famosos contos infantis, que já lhe haviam trazido imensa fama em vida.

    Os contos de Andersen são parte importante da imaginação do mundo ocidental: O patinho feioA vendedora de fósforosO pequeno polegarA roupa nova do reiO soldadinho de chumboA pequena sereia e tantos outros. 

     — Leia o post completo.




Visite a página da revista piauí no Orkut