Estadão.com.br
‹ Ir para edição atual

Busca avançada





  • Edição 97
  • Edição 96
  • Edição 95
  • Edição 94
  • Edição 93
  • Edição 92
  • Edição 91
  • Edição 90
  • Edição 89
  • Edição 88
  • Edição 87
  • Edição 86
  • Edição 85
  • Edição 84
  • Edição 83
  • Edição 82
  • Edição 81
  • Edição 80
  • Edição 79
  • Edição 78
  • Edição 77
  • Edição 76
  • Edição 75
  • Edição 74
  • Edição 73
  • Edição 72
  • Edição 71
  • Edição 70
  • Edição 69
  • Edição 68
  • Edição 67
  • Edição 66
  • Edição 65
  • Edição 64
  • Edição 63
  • Edição 62
  • Edição 61
  • Edição 60
  • Edição 59
  • Edição 58
  • Edição 57
  • Edição 56
  • Edição 55
  • Edição 54
  • Edição 53
  • Edição 52
  • Edição 51
  • Edição 50
  • Edição 49
  • Edição 48
  • Edição 47
  • Edição 46
  • Edição 45
  • Edição 44
  • Edição 43
  • Edição 42
  • Edição 41
  • Edição 40
  • Edição 39
  • Edição 38
  • Edição 37
  • Edição 36
  • Edição 35
  • Edição 34
  • Edição 33
  • Edição 32
  • Edição 31
  • Edição 30
  • Edição 29
  • Edição 28
  • Edição 27
  • Edição 26
  • Edição 25
  • Edição 24
  • Edição 23
  • Edição 22
  • Edição 21
  • Edição 20
  • Edição 19
  • Edição 18
  • Edição 17
  • Edição 16
  • Edição 15
  • Edição 14
  • Edição 13
  • Edição 12
  • Edição 11
  • Edição 10
  • Edição 9
  • Edição 8
  • Edição 7
  • Edição 6
  • Edição 5
  • Edição 4
  • Edição 3
  • Edição 2
  • Edição 1
  • Edição 0


questões da ciência

  • Em tempo real

    Em tempo real

    Quem se interessar por biologia e tiver facilidade para ler em inglês tem uma rara oportunidade para assistir de camarote à negociação de uma fascinante controvérsia da ciência. A bióloga Rosie Redfield, principal contestadora da existência de bactérias capazes de metabolizar arsênio, está relatando em seu blog todos os passos da sua tentativa de convencer a comunidade científica de que está certa. — Leia o post completo.


  • De grão em grão

    De grão em grão

    O crowdfunding, modelo de financiamento coletivo que vem sendo usado com sucesso para custear projetos de cultura e outras áreas, começa a ser adotado também na ciência. Há mais de uma iniciativa do gênero nos Estados Unidos, onde pesquisadores já conseguem arrecadar junto ao público fundos para bancar seus estudos. No Brasil, um grupo da USP acaba de levantar o dinheiro para se inscrever numa competição de biologia sintética. — Leia o post completo.



Visite a página da revista piauí no Orkut