Estadão.com.br
‹ Ir para edição atual

Busca avançada





  • Edição 94
  • Edição 93
  • Edição 92
  • Edição 91
  • Edição 90
  • Edição 89
  • Edição 88
  • Edição 87
  • Edição 86
  • Edição 85
  • Edição 84
  • Edição 83
  • Edição 82
  • Edição 81
  • Edição 80
  • Edição 79
  • Edição 78
  • Edição 77
  • Edição 76
  • Edição 75
  • Edição 74
  • Edição 73
  • Edição 72
  • Edição 71
  • Edição 70
  • Edição 69
  • Edição 68
  • Edição 67
  • Edição 66
  • Edição 65
  • Edição 64
  • Edição 63
  • Edição 62
  • Edição 61
  • Edição 60
  • Edição 59
  • Edição 58
  • Edição 57
  • Edição 56
  • Edição 55
  • Edição 54
  • Edição 53
  • Edição 52
  • Edição 51
  • Edição 50
  • Edição 49
  • Edição 48
  • Edição 47
  • Edição 46
  • Edição 45
  • Edição 44
  • Edição 43
  • Edição 42
  • Edição 41
  • Edição 40
  • Edição 39
  • Edição 38
  • Edição 37
  • Edição 36
  • Edição 35
  • Edição 34
  • Edição 33
  • Edição 32
  • Edição 31
  • Edição 30
  • Edição 29
  • Edição 28
  • Edição 27
  • Edição 26
  • Edição 25
  • Edição 24
  • Edição 23
  • Edição 22
  • Edição 21
  • Edição 20
  • Edição 19
  • Edição 18
  • Edição 17
  • Edição 16
  • Edição 15
  • Edição 14
  • Edição 13
  • Edição 12
  • Edição 11
  • Edição 10
  • Edição 9
  • Edição 8
  • Edição 7
  • Edição 6
  • Edição 5
  • Edição 4
  • Edição 3
  • Edição 2
  • Edição 1


questões da ciência

  • Revisão revista

    Revisão revista

    A revisão por pares termina o ano de 2011 mais contestada do que começou. O processo que os cientistas adotam para avaliar a qualidade da produção científica tem sido alvo de um número crescente de críticas, num contexto em que a troca de artigos e ideias foi facilitada pela internet e pelas redes sociais. Uma das contestações mais recentes partiu do ex-editor de um renomado periódico médico britânico. — Leia o post completo.


  • O experimento na era da sua irreprodutibilidade técnica

    O experimento na era da sua irreprodutibilidade técnica

    O desconforto ronda algumas áreas da ciência. Estudos de um número cada vez maior de campos se caracterizam pela impossibilidade ou inviabilidade de reprodução. O impasse atinge tanto disciplinas relativamente novas e dependentes de computadores – como a genômica e a proteômica – quanto áreas consolidadas há mais tempo. Na semana passada, a revista Science dedicou à questão uma série de cinco artigos que discutem o problema e propõem possíveis soluções. — Leia o post completo.



Visite a página da revista piauí no Orkut