Perguntado sobre suas aspirações políticas, Ronaldinho confessou que pretende estreitar as relações com Marcela Temer.

 

RIO DE JANEIRO – Depois de quase um mês de expectativa, o jogador Ronaldinho anunciou que irá para o PSDB. “Respeito muito o Palmeiras, Grêmio e Flamengo, mas os tucanos precisam mais de mim”, disse. De fato, o PSDB não mediu esforços para contratar o craque. A proposta foi levada aos procuradores de Ronaldinho por Fernando Henrique Cardoso, que chegou trajado de gandula. “É uma forte mensagem simbólica de que o partido estará à disposição de Ronaldinho, e fará tudo por ele”, declarou o ex-presidente, enquanto massageava a patela do craque.

 

Desde a derrota de José Serra, os tucanos estavam atrás de um nome de peso para voltar às manchetes dos jornais. “Pensamos em contratar a Amy Winehouse para concorrer à prefeitura de Rio Branco, que como todos sabem é uma cidade importante no eixo comercial La Paz – Miami, mas ela recusou”, disse o presidente do partido, senador Sergio Guerra.

 

Ronaldinho não será obrigado a acordar cedo, carregar bebê no colo, abraçar mulher feia ou comparecer com assiduidade às assembléias partidárias. Em período de campanha, terá o compromisso de aparecer em pelo menos três comícios, mas poderá deixar os eventos assim que as boates locais começarem a ferver.

 

Em contrapartida, o partido lhe garantirá pelo menos duas correligionárias por evento político, além de duas secretarias estaduais a serem ocupadas pelos companheiros de noitada que quiser indicar. “Na eventualidade de vencermos as próximas eleições presidenciais, Ronaldinho poderá escolher um ministério”, esclareceu Fernando Henrique Cardoso, “e desde já nos comprometemos a construir uma boate no Palácio da Alvorada.”