Tombini aposta que o consumo de roupas cairá em janeiro

 

BRASÍLIA – Na primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), Dilma Rousseff deu mais uma amostra de que vai imprimir um estilo diferente de governar: exigiu que Alexandre Tombini reduzisse a temperatura em dois pontos percentuais. “O verão começou para valer. É preciso tomar todas as medidas para evitar o aquecimento da economia”, disse ao presidente do Banco Central.

A medida fixa em 23 graus a temperatura em todos os ares condicionados do país, inclusive os da região serrana do Rio. “Com sua sensibilidade social e senso de jutiça, a presidente Dilma acredita que a medida vai reduzir os bate-bocas em torno da temperatura ideal do ar condicionado nas empresas. Os funcionários friorentos e calorentos terão que obedecer à temperatura que será publicada amanhã no Diário Oficial”, garantiu Tombini.

Em proncunciamento, Dilma explicou que a medida “visa conter os sistemáticos aumentos de temperatura que tiveram início no governo de Fernando Henrique Cardoso”.