Diocleciano, ao fundo, coordena uma reunião com seus assessores

BRASÍLIA - Um movimento civil, formado por programadores do Google, cães farejadores e gandulas do Botafogo logrou êxito na missão de encontrar um parlamentar sem ligações com Carlinhos Cachoeira. "Foram meses e meses de buscas. Dormimos pouco, passamos fome e privações terríveis. Abrimos mão até das verbas indenizatórias e pensamos em desistir, mas perseveramos. Finalmente, podemos mostrar à sociedade que existem pessoas de bem na política", explicou Luciano Huck, idealizador da caçada, vestido com casaco xadrez e chapéu de feltro, enquanto inspecionava os repórteres com uma lupa.

Diocleciano Maria dos Prazeres (sem partido), de 84 anos, foi descoberto enquanto batia à máquina memorandos para o mimeógrafo dos Centros Populares de Cultura (CPCs). O parlamentar, que entrou como segundo substituto de um suplente de um ex-cunhado de Sarney, disse que não faz uma ligação telefônica desde 1988. "Minha esposa insistiu para eu aderir à tecnologia. Pressionado, comprei recentemente um teletrim", alegou.

Ao ser perguntado sobre Carlinhos Cachoeira, Diocleciano franziu a testa: "Conheço o Carlinhos da mercearia. Ele sempre me manda um telegrama quando sai pão quente. É esse?", perguntou, solícito.

Emocionado, Luciano Huck prometeu que reformaria o apartamento funcional e a lataria do Corcel 73 de Diocleciano. Disse ainda que fecharia Fernando de Noronha por uma semana para que o político pudesse desfrutar em paz as maravilhas naturais do lugar.

Informados de que a ilha estaria fechada, Aécio Neves e Sérgio Cabral protestaram pelo twitter.

 

Leia também

Novas gravações ligam Judas a Cachoeira

Gravação revela que Demóstenes negociou ida de Adriano para o Flamengo

Número de cargos do PMDB ultrapassa população do Chile

Dilma cria Ministério da Sesta

Encontrado funcionário de ministério sem padrinho político